Viaduto V13 – O Grandioso Viaduto das Américas
viaduto v13

Viaduto V13, considerado o mais alto da América do Sul e 2º mais alto do mundo, fica localizado no município de Vespasiano Corrêa/ RS . Seus trilhos ligam a cidade de Muçum/RS, também conhecida como princesa das pontes, a Guaporé-RS.

Informações sobre o V13

Foi construído pelo 1º Batalhão Ferroviário do Exército Brasileiro durante a década de 70, sendo finalizado somente em 19 de agosto de 1978. O Viaduto possui 143 metros de altura e 509 metros de comprimento, a via férrea está ativa e circulam vagões todos os dias, no mínimo 1 vez ao dia, não tendo um horário específico.

O município de Vespasiano Corrêa, que é beneficiado pela grandiosidade dos túneis e pontes assim como a região que é envolvida pela ferrovia vem ocupando uma posição de destaque, a titulo de economia, turismo e lazer. A Ferrovia do Trigo é uma das mais belas ferrovias do Brasil, possuindo em sua extensão, que inicia em Roca Sales até Casca, sendo 32 túneis e 23 viadutos.

O trajeto para chegar ao Viaduto V13 pode ser feito de carro, de Porto Alegre até o V13 são 178 km, duração da viagem  de aproximadamente 2h e 45 minutos ou pode ser feito de excursão. Muitas empresas estão operando apenas na parte de baixo do viaduto, onde possui cascatas, o rio guaporé, a pedra da tartaruga e a vista de outro ângulo do viaduto.

Subida no Viaduto V13

Chegando no local, há uma estrada que sobe até o viaduto, sendo pela lateral esquerda, a subido a pé demora em torno de 15 minutos, vai depender do seu passo e das condições físicas de cada pessoa. Chegando ao topo, no lado esquerdo será possível ingressar no túnel que levará para o sentido de Guaporé, e indo para a direita, é o Viaduto V13.

Vale a pena ir em ambas direções, seguindo reto pelo viaduto V13, em direção à Muçum, você vai passar pelo V12, também é um viaduto, e chegar ao famoso Viaduto Vazado (V11), esse nome é dado devido a sua estrutura ser de ferro e não existir concreto no parte superior, isto é, você vê os buracos entre as madeiras. Para quem tem medo de altura, não é muito recomendado passar por cima, mas vale a pena andar por uns 2 a 3 metros e voltar para sentir como é a sensação. Existem moradores da região que atravessam quase que correndo esse viaduto, é inacreditável de se ver.

Voltando em direção ao viaduto V13 e passando por cima, entraremos em um túnel, percorrendo os trilhos por uns 2,5 km será possível conhecer a Cascata Subterrânea  – Garganta do Diabo.

 

Curiosidade: A denominação 13 tem sua origem no fato de ser o 13º de uma sequência de viadutos que se inicia no centro da cidade de Muçum.

Deixo também o site da Prefeitura de Vespasiano Corrêa com os atrativos da região: http://vespasianocorrears.com.br/atrativos-naturais

ATENÇÃO: No segundo semestre de 2017 a empresa Rumo (ALL) após ser multada pela ANTT reforçou a vigilância no local proibindo muitos visitantes de terem acesso aos trilhos, mas conforme entrevista ao prefeito de Vespesiano Corrêa , o acesso ao viaduto está liberado utilizando o bom-senso, a proibição foi com foco nas práticas de rapel que eram realizadas no local.  

Referência: https://www.informativo.com.br/geral/prefeito-portaluppi-diz-o-v13-nunca-esteve-interrompido-,231076.jhtml

Recomendo quem quiser ir conhecer, não ir com excursões, mas ir por conta própria com poucas pessoas ao viaduto v13, pois  caso haja alguma abordagem é mais fácil a argumentação.

Onde dormir: Sugiro o Camping Paraíso Tropical, o lugar conta com boa infraestrutura, ampla área para barracas, churrasqueiras, chuveiro quente e lancheria.

Como valores de diária podem sofrer reajustes, deve ser feito contato para verificar  a atual tarifa.

Telefone: (51) 99380-6216

Por fim, compartilho com vocês a melhor experiência que tive neste lugar, palavras não descrevem, assista ao vídeo abaixo e confira: 

Sobre o Autor

client-photo-1
Mateus Griszewski
Muito prazer! Sou guia de turismo, especializado no segmento de atrativos naturais (ecoturismo) e responsável pela agência Viva Las Trips - Turismo & Aventura. Apaixonado por trilhas e cachoeiras, praticante de trekking e acampamentos. Transformei um hobbie, em uma profissão, e com isso, ajudo e incentivo as pessoas a saírem da rotina e viverem mais, viajando e explorando lugares aqui pelo Rio Grande do Sul. Talvez você que esteja lendo, não tenha ainda o hábito de viajar com frequência, nem de fazer trilhas e viver no "mato", mas uma coisa eu lhe digo: quando mudamos o cenário, TUDO muda em nossa vida.

Comentários

Deixe uma resposta