Tênis ou bota? Qual o calçado ideal para trilhas.
tênis ou bota

Muitos aventureiros utilizam tênis para a realização de trilhas, outros utilizam a bota e o fato é que ambos tem suas vantagens e desvantagens

Características positivas e negativas do tênis

Pontos fortes: Todo mundo que ingressa no mundo das trilhas, acaba fazendo a sua primeira de tênis, em especial os de caminhada/corrida. Não há nada de errado com quem utiliza esse tipo de calçado, no entanto esse tipo de tênis tem um solado que não é propício para barrancos e pedras. Um tênis de caminhada e corrida tem o seu foco principal na capacidade de transpiração e esse ponto acaba sendo valioso para quem faz trilhas mais longas. Outro ponto positivo é que os tênis são extremamente leves, tendo o peso entre 300g a 400g, dependendo da numeração. Mais um ponto é que pelo fato de ser projetado para caminhadas e corridas, possui uma camada generosa de sola com um material muito macio para absorção do impacto.

Pontos Fracos: O tênis de maneira geral, possui um solado que desgasta fácil, e esse é a nossa primeira desvantagem, pois nas trilhas é necessário que o solado tenha aderência ao solo para evitar escorregar e até mesmo acabar empurrando o trilheiro que está na sua frente. Seu cano é curto, isso é prejudicial para ambientes desnivelados. Por ser de tela, a chance de rasgo acaba sendo grande e também é um ponto negativo caso você seja atacado por uma cobra. 

Pontos positivos e negativos da Bota

Pontos Positivos: Primeiramente devemos considerar que calçar uma bota é bem mais bonito do que um tênis. A bota te caracteriza como um trilheiro e que está equipado para os desafios que vem pela frente. Sua maior vantagem, sem dúvida, é ter uma sola resistente e com muitas ranhuras para a aderência ser perfeita e evitar acidentes ou tombos. Todas as botas possuem o solado com travas para reforçar essa segurança. Outro ponto é que o seu cano alto, protege seu tornozelo de futuras torções ou até mesmo quebrar caso ocorrer algum acidente ou alguma pedra que estava solta. Claro que o cano alto não vai evitar, mas vai dificultar bastante seu tornozelo torcer. As botas de couro Nobuk, dão maior segurança contra picadas de cobras.

Pontos negativos: De maneira geral, as botam tem o peso aproximado a 1kg e vai depender do material utilizado e do tamanho, comparado ao tênis é bastante a diferença de peso e isso poderá impactar em longos períodos de caminhadas e o problema ocorre quando você molha a bota, pois o peso aumenta ainda mais. Também podemos dizer que são equipamentos mais caros, quando se investe em uma boa bota, mas também existem gostos e valores para todo mundo. Por fim, a secagem da bota é bem mais demorada comparada ao tênis.

Considerações Finais

A conclusão de qual calçado é melhor, acaba sendo muito pessoal. Não há jeito, é necessário que você teste e veja com que tipo de calçado seu desempenho e bem-estar falam mais alto no ato da trilha. Acredito que para trilhas em mata fechada ou em leito de rio, sempre é melhor a utilização de uma bota. Mas também, há trilhas de nível fácil/médio que são bem estruturadas e com pouca duração, essas ficam geralmente dentro de parques e nessas ocasiões é tranquilo a utilização de um tênis de caminhada, isto é, nos casos em que não envolva grandes riscos.

Existem outros pontos que são importantes serem abordados a respeito da escolha de uma bota e quais as marcas recomendadas, mas esse conteúdo será escrito futuramente.

Deixo como sugestão de leitura este artigo que dará um maior entendimento e a explicação de pontos importantes na hora da escolha.

 

Sobre o Autor

client-photo-1
Mateus Griszewski
Muito prazer! Sou guia de turismo, especializado no segmento de atrativos naturais (ecoturismo) e responsável pela agência Viva Las Trips - Turismo & Aventura. Apaixonado por trilhas e cachoeiras, praticante de trekking e acampamentos. Transformei um hobbie, em uma profissão, e com isso, ajudo e incentivo as pessoas a saírem da rotina e viverem mais, viajando e explorando lugares aqui pelo Rio Grande do Sul. Talvez você que esteja lendo, não tenha ainda o hábito de viajar com frequência, nem de fazer trilhas e viver no "mato", mas uma coisa eu lhe digo: quando mudamos o cenário, TUDO muda em nossa vida.

Comentários

Deixe uma resposta