Você já deve ter ouvido falar no Parque das 8 Cachoeiras, em São Francisco de Paula/RS, porém talvez não da Trilha das Gêmeas Gigantes. A trilha dá acesso a Cachoeira das Gêmeas Gigantes e é a mais alta cachoeira do parque e uma das mais altas do Rio Grande do Sul. 

O Parque das 8 Cachoeiras é um lugar privilegiado com 130 ha de mata atlântica virgem intocável, com vales, cerros e cachoeiras, além de uma enorme variedade de animais silvestres. Localizado em um ponto estratégico. Localizada a 2,5km do lago São Bernardo.

Trilha das Gêmeas Gigantes?

Quando se escuta esse nome não se entende muito do por quê, só cai a ficha quando se chega até a cachoeira e se espanta pelo seu tamanho. Para falar a verdade, ela é tão gigante que é quase impossível conseguir tirar uma foto dela inteira, mesmo deitando-se no chão. Mas o nome foi dado pelo fato da cachoeira ter 2 feixes de água que caem paralelamente, como se fossem 2 quedas.

 

Trajeto

Saímos de Porto Alegre pelas 06h10min, fomos pela RS-020 que apesar de ter mais curvas, não se paga pedágio e é mais perto. Chegamos em torno das 08h35min no nosso destino. O parque conta com um grande estacionamento. Estacionamos próximo aos banheiros, ali já trocamos de roupa, passamos repelente e protetor solar e começamos nossa caminhada. 

Início da Aventura

O início da trilha é bem tranquilo, com bastantes placas, aberto, porém começamos a descida levemente. O caminho é o mesmo para a Cachoeira do Quatrilho. Sempre notamos a presença das placas nesse início, a sinalização do parque é muito boa. 

trilha das gemeas gigantes

Na Trilha das Gêmeas Gigantes, vemos que o caminho é todo auto-guiado, isto é, não é obrigatório a presença de uma guia, apesar de ser recomendado caso você não seja muito experiente em ambientes outdoor. 

Existem marcações amarelas por todo o caminho, em muitos momentos elas aparecem em pedras, muitos outros ela aparece nas árvores. Então, basta você ir seguindo a trilha e as sinalizações amarelas pelo caminho. 

Trilha das Gêmeas Gigantes

Para evitar que o trilheiro se perca, há flechas que indicaram o caminho a seguir, também prezando pela segurança, há uns arames, escadas, cabos para apoiar-se nas descidas mais ingrimes ou até mesmo no retorno, já que a volta é mais complicada pela desgaste físico. 

Durante a trilha , há muitas pedras soltas e lisas dando grandes chances para um resbalo ou queda, então é muito recomendado que você vá com uma bota de trilha, pois a bota possui travas no solado e  cano alto, evitando uma possível torção no tornozelo.

Trilha das Gêmeas Gigantes

Há diversas cascatas durante o caminho, perfeitamente posicionadas para uma pausa para beber uma água e tirar umas fotos. 

Trilha das Gêmeas Gigantes

Importante salientar que na Trilha das Gêmeas Gigantes  molha-se os pés, e muito na verdade, pois são aproximadamente 22 travessias no rio Malakow e em algumas vezes a água chega na altura do joelho. Antes que você se apavore, não é igual a Trilha do Rio do Boi, pois o nível do rio de maneira geral é baixo e pouca correnteza. Mas há momentos que é necessário caminhar por dentro do rio, pois são partes que não há trilha nas margens, por terra.

Fomos durante o verão, dia 21 de Janeiro de 2017, e aproveitamos muito as piscinas naturais durante a trilha e a própria cachoeira. Um ponto positivo da cachoeira, é que ela é rasa, então propicia muita gente a banhar-se na sua água, mas como qualquer cachoeira, é bem gelada. Uma foto de baixo da queda d’água fica sem dúvida incrível. 

Trilha das Gêmeas Gigantes

Falando sobre a queda, é mais fácil e seguro ir até de baixo da queda, inclusive, eu recomendo você deitar naquela pedra e sentir a água, é revigorante!

Trilha das Gêmeas Gigantes

Vai perder de conhecer uma cachoeira de 98 metros de altura em meio da mata nativa? Programe-se e faça a Trilha das Gêmeas Gigantes! 

Dados importantes

Tempo

O tempo é muito relativo, depende do tamanho do grupo e das condições físicas de cada trilheiro. Mesmo assim o tempo aproximado de duração é de 5h30min de caminhada, ida e volta.

Distância

São cerca de 7,5km de trilha, sendo ao total 15km, ida e volta. Por esse motivo, não é permitido o início da trilha após às 12h00min.

Nível

Esta trilha é de nível 5 pelo parque, isto é, considerada difícil e não é recomendada para pessoas sedentárias, idosos e problemas cardiorrespiratórios.

Ingresso

O valor individual para visitação ao parque atualmente está em R$ 20,00.

Hospedagem

É possível hospedar-se em chalés ou na área de camping.

Aventura

O parque possui tirolesa, arvorismo, parede de escalada e rapel.

Se você achou este artigo pelo Google, certamente está interessado(a) em conhecer a Cascata do Português, localizada em Mariana Pimentel/RS. É uma cascata fantástica, a seguir vamos lhe falar algumas informações e detalhes para você realizar esta trip.

A Cascata do Português, em Mariana Pimentel/RS

Que bom tê-lo por aqui, aventureiro, e ficamos felizes que esteja buscando informações acerca da Cascata do Português. Bem, você verá poucas informações pela internet, isso por que o motivo é óbvio: pouca gente conhece, pouca gente divulga, e o próprio município também não está muito preocupado com o turismo na região. O que encontramos é este artigo AQUI do Estado, mas que contém pouca informação.

Ao contrário a afirmação acima, nós estamos preocupados em impulsionar o turismo em Mariana Pimentel, não é à toa que vamos te passar informações dessa linda queda d’água: a Cascata do Português.

A Cascata do Português possui cerca de 15 metros, não é relativamente muito alta, mas possui de maneira geral, um grande volume de água, que torna essa cascata muito bonita. Também pelo fato de ser bastante larga e possuir uns musgos pela queda, deixando com outro aspecto.

Cascata do Português MARIANA PIMENTEL

Para você acessar esse lugar, é relativamente fácil, pois o lugar está no Google Maps, mas aí que entra o nosso papel na história: você não pode ir pelo GPS, pois ele te levará por um caminho horrível. Fará você passar pelo meio de plantações de milho e fará você colocar o seu carro na água.  Existe um outro caminho que é o caminho correto.

Você deve primeiro passar pela cidade, atravessando-a. E aguarde o GPS recalcular a rota. Ele vai te dizer para seguir em frente, pela estrada que leva até Barão do Triunfo, você deverá dobrar à esquerda na primeira rótula, depois à esquerda novamente, na segunda rótulo, depois só ir reto, até ver uma placa, aí você dobra a esquerda novamente e segue sempre reto.

Cascata do Português Mariana Pimentel
Cascata do Português Mariana Pimentel

O local é público ou privado?

A Cascata do Português fica dentro de uma propriedade privada, pertencente ao Sr. Zé, ele é um senhor muito simpático e adora papear. Inclusive, ele conta histórias sobre os primórdios da propriedade, da onde surgiu o nome, quando foi, fala sobre as trilhas que possuem por lá.

Tem trilhas na propriedade?

SIMMMM! Para acessar a cascata, não há nenhuma trilha. O acesso até a base da queda é bastante tranquilo e passa por cima do rio, pois foi construído uma pontezinha que leva até o outro lado do leito do rio. Mas se você quer um pouco mais de aventura, há uma trilha que dá acesso ao topo. Essa trilha inicia atrás do galpão que possui na propriedade.

A trilha é bastante tranquila, com algumas partes ingrimes e declives. Ela também é um circuito, isto é, você pode começar do lado direito da queda, subir ao topo, passar por cima do rio, e seguir pelo outro lado, até descer do lado esquerdo da cascata. Nessa parte, há uma bifurcação, onde você pode descer do lado da queda ou ir por outro caminho que dá uma volta maior e sai na frente da queda d’água.

A trilha que é mais curta, que sai ao lado esquerdo da queda, dura 30 minutos para ser feita.

Quanto custa?

O ingresso para acessar a propriedade custa R$ 5,00 por pessoa, e possui mesas, bancos, churrasqueiras, banheiros e água.

Caso você goste de acampar, também é possível, possui um lugar bem bacana e próximo a cascata. O valor é de R$ 15,00, incluindo o valor de acesso.

Cascata do Português
Cascata do Português

VERÃO

Provavelmente você está sendo isso entre dezembro e março, que é quando as pessoas em massa, buscam ir em cachoeiras e cascatas. Bem, te digo uma coisa: a Cascata do Português, durante o verão, acaba superlotando em vários finais de semana, isso que ela bem é tão propícia assim para banho, pois é rasa. Mesmo assim, com os fortes dias quentes, as pessoas vão fazer churrasco e passar o dia.

Cascata do Português MARIANA PIMENTEL

Se você quer tirar boas fotos e fugir da famosa Farofada, sugiro que vá no turno da manhã, caso for durante o verão. Recebemos relatos de uma seguidora nossa, que ela foi em janeiro, à tarde, e estava intransitável, com cerca de 200 pessoas na cascata, sendo que o local é bastante pequeno.

Se você não se importa muito com essa questão, tudo tranquilo. Mas muita gente prefere ambientes mais calmos e com menos pessoas, até para as fotos ficaram legais!

Além desse atrativo, o que fazer também em Mariana Pimentel?

Municípios do interior são pequenos, você deve saber. Mesmo assim, há outros pontos turísticos na região, sendo um deles, a famosa Pedra Equilibrada

Também há a Cascata do Chicão, mas atualmente faz parte de uma propriedade particular, e o proprietário não é muito a favor de deixar qualquer um entrar. Mas vale a tentativa, se você pegar ele de bom humor.

 

QUEM SOMOS

Somos uma agência de viagens localizada em Porto Alegre/RS  e  as nossas trips são focadas em trilhas e cachoeiras, o que chamamos hoje de ecoturismo ou turismo de aventura.  Os nossos roteiros são exclusivos e para lugares em que poucas pessoas conhecem. O nosso diferencial também é formar grupos pequenos, para você além de conhecer um lindo lugar, também interagir com os outros passageiros e fazer novos amigos.  Explore novos horizontes, invista em você, e venha viajar com a gente!

Se você achou este artigo pelo Google, certamente está interessado(a) em conhecer a Cascata dos Molin, localizada em Caxias do Sul/RS. É uma cascata fantástica, a seguir vamos lhe falar algumas informações e detalhes para você realizar esta trip.

Informações da Cascata dos Molin, em Caxias do Sul/RS

Essa cascata está no rol das mais altas de Caxias do Sul, ela possui cerca de 60 metros de altura, sendo até um pouco difícil conseguir bater uma foto que pegue ela por inteira.

Como qualquer cascata, o volume de água é variável, depende se choveu alguns dias anteriores ao dia da sua visitação, mas a Cascata dos Molin parece ter sempre pouco volume de água. Mesmo assim, ela é linda e encanta quem visita.

Cascata dos Molin Caxias do Sul/RS

É possível visualizá-la por diversos ângulos. Antes de você descer a trilha que leva a sua base, você passará por uma gruta e nela, é possível passar por trás do véu de água.

 

Cascata dos Molin Caxias do Sul/RS

Se você contornar a gruta, poderá visualizar a queda pelo lado esquerdo e bem de pertinho. Também é importante citar a relevância desta gruta, ela é gigante e é até possível você acampar nela, há também vestígios de fogueiras e até uma lareira feita de pedra! Pois é, mas alguém construiu.

 

Também há uma santinha na gruta, como toda e qualquer gruta.

Cascata dos Molin Caxias do Sul/RS
Cascata dos Molin Caxias do Sul/RS

O local é público ou privado?

O local possui livre acesso. Não há porteira, nem cerca, nem muros, nenhum sinal de que ela pertença a uma propriedade particular. Também não vemos placas de sinalizações, isso mostra que também não é pública, pois senão seria marcada como ponto turístico do município. Então você pode acessar sem medo.

Quanto custa?

Como mencionamos acima, o acesso é livre e tranquilo. Não há cobrança de nenhum valor para acesso a Cascata dos Molin.

Isso é bastante positivo! adoramos economizar, porém é importante você saber que não nenhuma estrutura, muito menos lixeiras, sendo assim, leve o seu lixo embora consigo.

Tem que fazer trilha para chegar?

Sim! Para chegar até a base da Cascata dos Molin, é necessário fazer uma trilha por cerca de 5 a 10 minutos. A trilha é bastante tranquila, sem grandes dificuldades.

Cascata dos Molin Caxias do Sul/RS

localização

A Cascata dos Molin está mapeada no GPS, portanto é bastante fácil de localizar. Quando você chegar, ela estará no lado direito da estrada (depende de onde você vem né), como não há placa, há um pequeno espaço na frente para estacionar o seu veículo e logo depois começa a trilha.

Cascata dos Molin Caxias do Sul/RS
Cascata dos Molin Caxias do Sul/RS

Além deste atrativo, tem algum outro lugar para ir em ?

Com certeza, se você é amante de cascatas e trilhas, Caxias do Sul é um ótimo lugar para localizar esses paraísos.

cascatas bem próximas a essa que você vai visitar, basta se planejar e montar o seu roteiro.

QUEM SOMOS

Somos uma agência de viagens localizada em Porto Alegre/RS  e  as nossas trips são focadas em trilhas e cachoeiras, o que chamamos hoje de ecoturismo ou turismo de aventura.  Os nossos roteiros são exclusivos e para lugares em que poucas pessoas conhecem. O nosso diferencial também é formar grupos pequenos, para você além de conhecer um lindo lugar, também interagir com os outros passageiros e fazer novos amigos.  Explore novos horizontes, invista em você, e venha viajar com a gente!

Neste artigo, falaremos da importância de se ter uma boa barraca e se principalmente realizar uma ampla pesquisa antes de adquirir a sua primeira barraca, visto que ela será sua companheira por anos e deverá aguentar vários tipos de cenários e temperaturas.

Para se falar a verdade, existem barracas especificas para frio extremo e para temperaturas normal, mas uma barraca deve ser versátil a todos esses climas.

Características Recomendadas Para Primeira Barraca

Existem barracas de diversos modelos, mas a grande maioria é do formato iglu, que é composto por quarto e sobreteto, geralmente não possui avanço nesse modelo e existem modelos de somente uma porta e de duas portas.

Pontos positivos do iglu: Modelo autoportante, isto é, ela fica montada sem precisar dos espeques. Você pode inicialmente montá-la em qualquer área e posteriormente deslocá-la de lugar até escolher o terreno ideal ou até mesmo movê-la caso necessário. Outra questão é em casos de tempestades ou chuvas muito intensas, é possível colocá-la em pisos de cimento , cobertos, para não estragar sua aventura.

Pontos negativos do iglu: Como citado, não possui área de avanço para colocar calçados, panelas e outros itens. O avanço é bastante importante para cenário de chuvas e terrenos com lama e barro.

Existem barracas de todos os tamanhos e indicações para a quantidade de pessoas que utilizarão, sendo de 1 pessoa até 10 pessoas. Uma sugestão que damos é escolher uma barraca com 1 pessoa a mais que efetivamente ficarão em seu interior, vou explicar:

Se você é um casal, o indicado para sua primeira barraca  é ter 3 lugares, pois assim um dos espaços será ocupado pelas suas bagagens, roupas, utensílios e etc. Então nunca compre a barraca do tamanho exato, compre sempre garantindo que sobre espaço para você dormir dentro e ainda ter espaço interno para guardar seus pertences. Alguns podem pensar que esse espaço não é necessário, pois você vai ter o carro, mas não se engane, pois em travessias você irá acampar muito longe do seu carro e até nos casos que seu carro está próximo, em dias de chuva você não vai querer sair a noite para pegar algo no seu carro. Pense na versatilidade.

Busque modelos com 2 portas por alguns motivos:

  1.  Para casal é extremamente importante que tenham duas saídas, vai facilitar a movimentação interna e o acesso aos seus itens.
  2.  A circulação de ar é bastante importante em casos de condensação interna e também devido ao calor quando se é verão.
  3. Há modelos com duas portas que podem ficar fechadas, pois nas portas há janelas com telas (mosquiteiro) , então  é possível dormir com essas janelas abertas ou abri-las pela manhã, que é quando geralmente se acorda suando.

primeira barraca 2 portas

Obs.: Mesmo se a barraca possui uma ou duas portas, confira se os zíperes são duplos, para que se possa colocar um cadeado(s). Esse é um detalhe importante levando em consideração que não se conhece os campistas ou se algum estranho vai invadir seu local de acampamento.

A maioria das barracas possuem o piso de polietileno que é uma lona bastante resistente, imprescindível conferir se o modelo usa esse tipo de material no piso.

Peso: Existem modelos mais leves e modelos mais pesados, dê preferência para os modelos mais leves, mas busque modelos de no máximo 3,5 kg.

Volume: Confira qual é o volume que sua barraca vai ocupar quando guardada, e verifique se há bolsa para transporte, pois é fundamental que tenha e também com alças.

Resistência: É incrível como existe uma probabilidade gigantesca de chover quando se vai fazer algum acampamento, viagem ou travessia, com isso busque uma barraca que seja impermeável e que tenha, no mínimo, 1.000 mm de coluna de água,  esse parâmetro indica o quanto a barraca aguenta a chuvas. O sobreteto é uma parte da barraca que é impermeável, mas também verifique se as costuras são seladas, isso aumenta a segurança contra a entrada de água.

Espeques: São os ferrinhos que se usa para fixar a barraca ao solo, pesquise quantos vem junto com o seu equipamento e qual material é. Algumas marcas mandam espeques extras para possível extravio ( que por sinal é fácil isso acontecer).

Varetas: Há três tipos de varetas:

  1.  Fibra de vidro: são mais comuns, mais baratas, mais pesadas e mais frágeis. De maneira geral, são elas que vem na grande maioria das barracas comercializadas no mercado.
  2. Alumínio: são mais resistentes, mais leves, e mais caras também. As barracas com essas varetas são consideradas técnicas, isto é, projetada para diferentes climas e cenários e muito usada para expedições de vários dias.
  3.  Duralumínio – Mais resistentes que as de alumínio, porém encontrados em pequenos modelos, em especial a Nepal, por ser bastante técnico.

Obs.: Não se emocione e não dê um passo maior que a perna, para sua primeira barraca, dê preferencia para as de fibra de vidro, visto que são consideradas boas e tem uma durabilidade razoável, além de ser bem mais baratas que as outras.

Sugestão Adicional Para sua Primeira Barraca

Esticadores: São cordas que deixam a barraca mais estável, são presas com os espeques ao solo e também a barraca nas suas extremidades (4  lados). São úteis para dias com muito vento ou em um trekking onde você subirá montanhas, visto que são locais com ventanias capazes de acabar com seu acampamento caso você não tenha um desses. Além de ser fundamentais para temporais. Preferencialmente escolha um modelo que venha com os esticadores inclusos.

primeira barraca

 

Considerações finais

Como dito na introdução da postagem, recomendo que façam bastantes buscas na internet antes de realizar esta compra, nem todas as barracas possuem essas características citadas, mas busquem ao máximo qual dos modelos e marcas oferecem essas características. Há também muitos reviews, que são relatos sobre os produtos, que podem te ajudar muito a fazer essa escolha. E agora a dica de ouro, não economize na compra de sua barraca, muitos modelos baratos possuem materiais de baixo custo e que podem lhe causar grandes problemas e te fazer passar  grandes perrengues, até mesmo estragar a sua trip. Como diz o ditado popular, o barato sai caro. Pensa bem na aquisição da sua primeira barraca, ela será sua companheira por vários anos.

Vou compartilhar com vocês um bom site para comprar equipamentos de camping, em específico, as barras da Quechua, que são excelente opções:

http://www.decathlon.com.br/camping/barracas

Só para finalizar, deixo como sugestão para sua primeira barraca a compra da Barraca Vênus, da Guepardo. Eu a utilizo a mais de um ano e apresenta todas as características citadas acima, mas há também muitos outros modelos e marcas que se assemelham. Enfim, façam boas escolhas e invistam nas suas aventuras.

 

Espero ter ajudado e até a próxima!