12 dicas importantes para quem está começando a fazer trilhas.
DICAS EM TRILHAS

Preciso confessar: acho que nasci em uma trilha. Não é possível gostar tanto de estar no meio do mato, de colocar o pé na lama ou na água, de fazer escalaminhadas ou até mesmo ter que se segurar em todas as árvores pra poder descer um barranco, de escorregar e cair de bunda no chão ou até mesmo ficar com as pernas cansadas de tanto terreno irregular.

Muita gente não gosta: talvez por inexperiência, talvez por não gostar da natureza, talvez por não gostar de passar perrengue, mas uma coisa lhe digo: as melhores paisagens, os melhores momentos e lembranças, se dão depois de uma trilha, seja para chegar a um mirante, topo de montanha, cachoeira, rio.

Faço trilhas desde pequeno e tenho a impressão que farei até os 90 anos de idade ou até o corpo permitir.

Pra quem é recomendado fazer trilhas?

É recomendado para quem quer aventura! sair do sofá, da frente do computador ou smarphone, pra quem trabalha a semana inteira e não vê a hora de relaxar, pra quem estuda horas e horas em uma faculdade ou curso, pra quem fica entendiado de apenas sobreviver.

Fazer trilha é viver e muito mais do que isso, é aproveitar cada minuto o contato com a natureza.

Não tenho experiência nenhuma, como faço?

Relaxa, ninguém nasceu sabendo fazer nada. Alguns tem facilitada para alguma atividade, o resto é aprimoramento. Para quem está começando, é preferível que você escolha as de nível fácil, com poucas inclinações, pouco tempo de duração. Separamos 12 dicas muito importantes para você ter ciência antes de pôr a mão na massa, ou melhor, o pé na lama:

Parece óbvio para alguns, mas é preciso ser dito. Quando fazemos trilhas de 1 dia (também conhecido como Hikking), é preciso que você leve o essencial: lanche, água, roupa seca caso for se molhar, celular, câmera fotográfica, boné, óculos. Quando menos peso, mais desempenho você terá e menos cansado você ficará.

Pense bem, você está indo curtir algumas horas, não se mudar para o meio do mato. Cuidado para não levar itens que não serão úteis para a sua atividade.

Raramente alguém vai sozinho para uma trilha, mas é importante você saber que problemas podem acontecer, tais como: você ficar perdido, possíveis traumas ou torções, encontrar algum animal peçonhento no meio da trilha, ficar sem alimento e forças para conseguir voltar, caso seja longa.

O ideal é que seja um grupo pequeno, entre 2 a 20 pessoas. Muita gente em uma trilha é terrível para o meio ambiente e as chances de um atrapalhar o outro, é grande.

Caso você não tenha companhia e mesmo assim queira se aventurar, busque trilhas fáceis, curtas e auto-guiadas (aquelas com plaquinhas durante o trajeto).

Um ponto muitíssimo importante é o que você veste para uma trilha, todo mundo deve saber que tem que ser roupas confortáveis e leves, mesmo assim eu ainda vejo muita gente com roupa jeans nas trilhas e calçados inadequados para uso casual.

Claro, eu entendo que muita gente quer ir bonitinho para a trilha para bater boas fotos, porém de nada adianta sair bem nas fotos e passar trabalho com locomoção e até mesmo escorregar e ter a chance de estragar a sua aventura.

É muito importante ir com roupas flexíveis, leves, frescas e que permitam a transpiração, até por que no meio do mato muitas vezes não bate vento, então fica um clima muito quente. Também é fundamental que, em dias nublados e em épocas de temperatura normal, você leve um casaco fino, pois muitas vezes a temperatura cai bastante em regiões com muitos morros e mata atlântica.

Estar com uma roupa adequada, vai te dar ótimos momentos ao invés de sofrimento.

Uma trilha é uma atividade física como qualquer outra e por conta disso, antes de começar uma trilha, é sempre bom você fazer alongamentos das principais articulações e músculos que serão usados, em especial, nas pernas. Também é possível que você dê uma corridinha de 1 minuto (trote) para aquecer seu corpo e articulações.

Isso vai te dar uma maior desempenho e vai evitar possíveis câimbras ou torções. Pegue esse hábito e você verá a diferença.

Nem pense em levar um marmita para a trilha. Você estará em uma pratica de atividade física, com talvez pouquíssimo tempo para comer. Geralmente as paradas para refeições são de 10 a 20 minutos e você não vai querer comer feito louco e ficar pesado né?

Levar lanches rápidos e leves são o ideal, algumas dicas são:

Sanduíche natural, pastéis, pizza de aniversário, panquecas, salame, queijo, amendoim, barras de cereais, frutas (maçã e banana), bolachas, etc.

O consumo de água durante um atividade física é essencial, isso por que você desidrata muito fácil e com o suor da caminhada, isso só piora. O indicado é que cada pessoa leve consigo no mínimo 1 litro d’água, considerando 500ml para ir e 500ml para voltar. Esse número é relativo e muda de acordo com a duração da trilha e sua dificuldade como um todo.

Quando há trilhas com muitas subidas, recomenda-se levar 2 litros por pessoa. Mas também sabemos que o peso de uma água conta bastante para o desempenho, mas pense bem: melhor você levar uma mochila mais pesada do que não conseguir terminar uma trilha por desidratação.

Pegando esse gancho, é legal as mochilas que possuem nas laterais os espaços para pôr garrafas, isso faz com que você carregue outros itens no espaço interno da sua mochila e as águas, que devem ficar de fácil acesso para o consumo, fiquem ao lado de fora.

Outra ideia bastante lega, são as bolsas de hidratação. Uma marca bastante famosa nesse nicho é a Kamelback, referência e um produto incrível. Muita gente usa nas trilhas para facilitar o transporte (fica o refil dentro da mochila) e uma mangueira na parte externa para facilitar o consumo.

Preservar o meio ambiente é fundamental para manter a saúde do planeta e de todos os seres vivos que moram nele. Para celebrar o esforço em proteger os recursos naturais,

A ecologia é a ciência que estuda as relações entre os seres vivos e os meios onde vivem..
Os seres humanos só conseguem sobreviver graças à natureza. Afinal, usamos os animais e plantas para nos alimentar, água para beber e tomar banho, e muitos outros recursos que nem percebemos.

Você já pensou que a cadeira onde sentamos é feita de madeira, que veio de uma árvore? Grande parte das roupas é feita de algodão, que também vem de uma planta.

Proteger a natureza não é só cuidar da Mata Atlântica, mas sim preservar cada lugar por onde passamos e cada ser vivo que encontramos pelo caminho.

 

Preserva a natureza, jamais deixe lixo nas trilhas e não alimentem os animais silvestres. Se queremos fazer trilhas por muitos anos, temos que estar conscientes sobre essa questão.

Fazer trilhas também é parceria. Muitas vezes você pode precisar de uma mãozinha em algum ponto critico ou alguém pode precisar de você também.

Em diversos momentos há barrancos ou pontos que é difícil a passagem e muitas trilhas não possuem estrutura como cordas e cabos de aço, então o auxílio mútuo é muito importante, ainda mais se for se seu amigo ou talvez mesmo que não seja, mas alguém de mais idade, alguém mais frágil.

Não somente nesse aspecto, mas você ajuda o próximo quando compartilha algum alimento com alguém que está precisando, compartilhar um carbogel, uma fruta, uma água.

Quando se faz trilhas acompanhado, você tem que ter o espírito de equipe e muitas vezes é isso que fará com que todos os integrantes consigam ter êxito.

Isso mesmo que você leu, não seja ousado em uma trilha.

Já vi muitas pessoas andando rápido em trilhas e depois caindo. Há vários problemas que podem acontecer se você não ir com cautela:

  • Torções
  • Fraturas
  • Tropeçar e quebrar algum equipamento
  • Derrubar alguma pessoa que está na sua frente
  • Cair em algum barranco ou buraco
  • Se perder e não encontrar o caminho de volta

Também um cuidado que deve se tomar é com locais escorregadios, como por exemplo, em cachoeiras e rios.

Qualquer problema que dê no meio do mato, você provavelmente não conseguirá chamar ninguém, pois o sinal de celular não funciona e o pronto-atendimento mais próximo pode ficar a horas de onde você se acidentou.

Isso não é uma ordem, nem uma regra, mas é comprovado que a bota é o melhor calçado para trilhas. Muitas vezes não é muito confortável quanto a um tênis de corrida, pelo seu amortecimento, porém a sola de uma bota dá de mil a zero em uma sola de um tênis comum.

Preze pela sua fixação ao solo, por não correr risco de escorregar e estragar a sua aventura, nós temos um artigo aqui no blog que explica bem as vantagens e desvantagens de você ter uma bota.

Se você estiver acompanhado na trilha, seja com seu parente, seja com namorado, seja com amigos, jamais se separe deles. Não pelo só pelo fato de vocês se perderem, mas de um precisar do outro. Como citei na dica 8, ajude o próximo e seja também ajudado caso necessário.

Fora que fazer trilha em grupo é muito mais legal, geralmente o ambiente fica descontraído, mais leve, passa mais rápido, fica menos difícil e dolorido. Então esteja sempre com seu grupo e lhe prometo que será muito melhor do que você andar sozinho e ocorrer algum problema.

Talvez a dica mais importante de todas! Vá no seu ritmo. Não se sinta pressionado se o coleguinha na sua frente está mais rápido que você, cuide bem onde você pisa, onde você se segura, aproveite o ambiente e não somente ande.

Olhe ao redor, você está na natureza, ao som de pássaros e folhas balançando, não há por que correr. Eu por exemplo, gosto de fazer a trilha com calma, sabendo bem onde vou pisar para que não ocorra nenhum acidente, eu respiro o ar puro, olho ao meu redor o ambiente, converso com as pessoas, bato uma foto, e não sinto pressa em chegar ao local, muito menos quero competir com alguém.

Eu tenho o meu ritmo e quem está atrás de mim que espere.  Cada pessoa tem uma condição física pessoal, alguns mais rápidos, outros nem tanto, mas o  que  realmente importa é que todos cheguem no destino e que todos voltem para seus lares. Vá no seu ritmo e assim, você vai muito mais longe!

DICAS EM TRILHAS

Desejo a todos vocês muitas trilhas, afinal, existe um hobbie melhor que esse? Até hoje eu não encontrei.

Sobre o Autor

client-photo-1
Mateus Griszewski
Sou um aventureiro gaúcho, de Porto Alegre/RS, que tem por objetivo compartilhar experiências, dicas e roteiros para que mais pessoas queiram viajar mais. Percebo que muitas pessoas isolam-se cada vez mais nos seus smartphones e nas suas atividades do dia-a-dia. Por isso, também resolvi me tornar guia de turismo para além de incentivar as pessoas a conhecerem lindos lugares, também poder levá-las pessoalmente. Uma vez que você se permite conhecer esse estilo de vida, você nunca mais o abandonará. Aliás, a vida é muito curta para se viajar somente nas férias.

Comentários

Deixe uma resposta